A Paraíba na lista negra da LRF. Como assim?!

Postado: 19-04-2013
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 3,33 out of 5)
Loading ... Loading ...
Ricardo terá ainda mais poderes com a vitória dos seus candidatos.

Ricardo terá ainda mais poderes com a vitória dos seus candidatos.

Por Wellington Farias – E agora, governador Ricardo Coutinho (PSB), como será que V.Exa vai justificar o fato de a Paraíba está na lista negra da Lei de Responsabilidade Fiscal? É fato, sim: está publicado no jornal O Globo, do Rio de Janeiro – que não tem interesses nenhum na sua vitória ou na sua derrota, até porque não é daqui. (veja matéria de O Globo, abaixo, na integra).

Pois bem, governador, todos os direitos que o senhor tem negado, sobretudo ao funcionalismo, o faz sob o pretexto de que não pode ultrapasar a lei de responsabilidade fiscal. A Paraíba é testemunha que milhares de pessoas foram dispensadas, em nome da famosa LRF. E, agora, surpreendentemente o jornal carioca, O Globo, mostra que a austera Paraíba sob a batuta socialista, está na lista negra.

Pra não dizer que estou inventando, Excelência, eis a matéria de O Globo, na íntegra:

Silvia Amorim, de São Palo – Uma escalada nas despesas com pessoal tem sido realizada por 22 dos 27 governos estaduais nos últimos anos. A prática põe muitos em rota de colisão com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), criada em 2000 para tentar controlar os gastos públicos. Mato Grosso e Roraima registram o maior crescimento da folha de pagamento do Executivo. Há cinco anos, os dois estados comprometiam entre 30% e 33% da sua receita corrente líquida com o pagamento de salários e aposentadorias. Em 2012, esse patamar já estava em mais de 40%. Há estados, porém, em situação mais preocupante: eles ultrapassaram o limite máximo definido por lei para gastos com salários e aposentadorias ou estão muito próximos de fazê-lo.

O alerta vermelho da LRF soou em seis estados em 2012. Tocantins, Sergipe, Rio Grande do Norte, Paraná e Alagoas entraram no que a legislação considera zona de risco, situação em que o limite de gasto com pessoal compromete mais de 46,55% do orçamento. Já a Paraíba está hoje na lista negra da LRF: ultrapassou o patamar máximo permitido (49%) para despesas com a folha de pagamento (chegando a 49,83%) e pode sofrer punições, como não receber recursos federais ou contrair empréstimos.

Nem no auge da crise econômica mundial, em 2009, quando as arrecadações do setor público sofreram quedas devido ao desaquecimento da economia, essa relação entre folha de pagamento e orçamento foi tão preocupante. Naquele ano, apesar de todas as adversidades, o número de estados que extrapolaram os limites da LRF foi menor (quatro). Para especialistas em finanças públicas, o cenário inspira cuidado e pode ser sinal de descontrole fiscal.

Em cinco estados, esforço para gastar menos

No período 2007 a 2012, apenas cinco governos estaduais reduziram o peso da folha de pagamento nas contas públicas. Um deles é o Rio Grande do Norte, que, apesar de estar no grupo de risco, tem se esforçado para controlar as despesas. Em 2007, o gasto com pessoal correspondia a 50% do orçamento; em 2012, foi de 48%.

Os dados reunidos pelo GLOBO são dos relatórios de gestão fiscal enviados pelos governos estaduais ao Tesouro Nacional a cada quadrimestre. As prestações de contas mostram que há outros estados candidatos em potencial a engrossar a zona de risco.

Santa Catarina é um deles. O governo estadual rompeu no início de 2013 a barreira de segurança da LRF, chegando a 47% da receita corrente líquida comprometidos com pessoal. O secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni, atribuiu a escalada à queda da arrecadação decorrente de desonerações tributárias, como a da conta de luz anunciada pelo governo federal.

— Neste ano tivemos o impacto da redução do ICMS na tarifa de energia, o nosso principal tributo. Houve uma queda de cerca de R$ 30 milhões por mês. Além disso, fizemos uma política de valorização dos salários. Mas a arrecadação não respondeu como esperávamos — afirmou.

Em Roraima, onde foi verificado o maior crescimento de folha de pessoal nos últimos cinco anos, o governo atribuiu o incremento à estruturação da máquina administrativa.

— O estado é novo. Vai completar 25 anos, e estamos em fase de expansão dos serviços. Esse aumento é resultado do processo de reestruturação de cargos e carreiras em curso. Mas todo e qualquer crescimento é acompanhado de um rigoroso acompanhamento financeiro. Os limites da LRF estão sendo respeitados — disse a secretária de Administração, Gerlane Baccarin.

O GLOBO entrou em contato com o governo de Mato Grosso, segundo estado que mais aumentou a despesa com pessoal, mas não teve retorno. A Paraíba, que já ultrapassou em 2012 o patamar de gastos permitidos, também não comentou o caso.

Situação pode ser ainda pior, afirmam especialistas

A situação fiscal dos governos estaduais pode ser pior do que retratam os relatórios de gestão encaminhados pelos próprios estados ao Tesouro Nacional, avaliam especialistas em finanças públicas. O economista Darcy Francisco, autor do livro “A crise das finanças estaduais”, diz que a falta de definição pelo governo federal sobre o que pode ser incluído como gasto com pessoal tem levado a prestações de contas que não refletem a realidade.

— O governo do Rio Grande do Sul, por exemplo, tira os pagamentos a título de pensões dos relatórios. Essa é uma despesa representativa, mais de 20% dos gastos previdenciários. Com isso, o gasto com pessoal apresentado acaba ficando menor, e o balanço vira um jogo de números — afirma Francisco.

O economista diz que até hoje um dispositivo da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que prevê a criação de um Conselho de Gestão Fiscal com a responsabilidade de padronizar os critérios para a prestação de contas, entre outras funções, nunca foi regulamentado.

— Hoje quem dita qual é a regra são os Tribunais de Contas dos Estados (TCEs), que costumam ter uma folha de pagamento onerosa — acrescentou Francisco.

Também especialista em finanças públicas, José Roberto Afonso cita o governo do Esatado do Rio como outro exemplo dessa distorção. Segundo Afonso, o estado exclui dos balanços a despesa com aposentados. A prática já foi motivo de polêmica no passado. Nos relatórios, o Rio aparece como o estado com o menor percentual de gasto com pessoal — 29% da receita corrente líquida em 2012.

Afonso atribuiu o crescimento dos gastos com folha de pagamento nos últimos anos a um “afrouxamento” do controle fiscal nos estados.

— O que acho que explica a piora nos indicadores é o afrouxamento da política fiscal dos estados endossado pelo Tesouro Nacional, que começou a liberar crédito sem garantias de aumento de investimento por parte dos estados como contrapartida. Antes, os governo estaduais se esforçavam para fazer poupança e, com recursos do próprio orçamento, aplicar em investimentos. Mas, como estão conseguindo hoje aval do Tesouro para contrair empréstimos, eles estão usando o dinheiro que antes aplicavam em investimento em custeio, sendo boa parte deles com a folha de pessoal — explica Afonso.

“Maioria dos estados está liberando gastos”

Para ele, 2013 pode ser um ano ainda mais complicado por causa das desonerações tributárias aprovadas recentemente, como a que reduz o ICMS da tarifa de energia.

— A tendência este ano é a receita ficar estável ou até cair. O mais prudente seria ter mais moderação nas despesas com pessoal, diante desse cenário. Mas acho que a grande maioria dos estados está liberando os gastos — afirma Afonso.

O professor de Economia da Universidade de São Paulo (USP) Adriano Biava chama atenção para um outro aspecto.

— Antes de aumentar a estrutura com contratações, a responsabilidade no uso dos recursos públicos passa por uma gestão eficiente dos quadros de que se dispõem. Os recursos humanos precisam ser mais bem aproveitados. Isso é um problema crônico no setor público. E a fiscalização disso cabe à sociedade — defendeu Biava.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/desequilibrio-fiscal-estados-inflam-gasto-com-pessoal-8157846#ixzz2Quri5mDC
© 1996 – 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Transcrito de O Globo
http://oglobo.globo.com/pais/desequilibrio-fiscal-estados-inflam-gasto-com-pessoal-8157846

 

Lambança de Cartaxo premia os barões dos cartórios

Postado: 18-04-2013
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading ... Loading ...
lucianocartaxo2

Luciano Cartaxo premia barões dos cartórios

Por Wellington Farias – Em pouco mais de três meses de gestão, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT) cometeu a sua primeira lambança; um episódio vergonhoso que se configura numa cusparada na cara do bom contribuinte: presenteou os barões dos cartórios com anistia milionária de juros.

Veja o tamanho da imoralidade, que teve o aval da Câmara Municipal de João Pessoa, com a exceção do vereador Renato Martins (PSB): o projeto de lei de autoria do prefeito dispensa dos cartórios o pagamento de 100% dos juros das dívidas milionárias, dilui o total da dívida em 96 parcelas e reduz em 30% o ISS do passado e (pasmem!) do futuro.

Curiosidade
O mais curioso de tudo é o argumento do prefeito: este foi um acordo necessário porque, do contrário, essa dívida não seria paga. Ou seja: Cartaxo põe o poder publico agachado diante dos barões ricaços dos cartórios. Ora, se o contribuinte não paga os impostos a prefeitura, pelo que se sabe, vai pra execução. Por que não é assim com os cartórios?

Quem ganha?O cheiro de maracutaia está no fato de que, até agora, ninguem sabe o tamanho do prejuizo para o município. Secretários, técnicos, contadores do município, não foram capazes de saber calcular o tamanho da dívida dos cartórios com o município. Como pode vc negociar uma dívida sem saber o seu valor? Ai tem coisa, com toda certeza…

Contrapartida
No pior das hipóteses, mais justo seria que a prefeitura obrigasse os cartórios a pagar suas dívidas prestando serviço cartorial gratuito às camadas mais carentes: registro de imóvel e outros serviços

 

 

Pesquisa qualitativa do PT sugere coligação com PMDB

Postado: 18-04-2013
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 4,00 out of 5)
Loading ... Loading ...

pt-pmdbPor Wellington Farias – Um amigo meu, de livre acesso à cúpula nacional do PT, me telefonou esta semana, de Brasília, para saber das novas por aqui. E terminou deixando escapar a seguinte informação: a cúpula nacional petista teria feito uma pesquisa qualitativa sobre o quadro político-eleitoral nacional do momento. Quanto à Paraíba, uma constatação importante, sobre as eleições de 2014: PT e PMDB necessariamente têm que caminhar juntos, se quiserem lograr êxito. Do contrário, afundam os dois. Eu uma aliança de ambos seria importantíssimo para a reeleição de Dilma.

A pesquisa teria sido encomendada para, entre outras coisas, verificar o grau de aceitação do Governo Dilma; as queixas dos brasileiros sobre as ações do governo dela e, também, substanciar as discussões que rolarão ao longo do famoso Processo de Eleições Diretas (PED). Com detalhes, claro, sobre a situação por Estado.

A pesquisa revela uma curiosidade: a surpreendente densidade eleitoral do deputado federal petista, Luiz Couto. O resultado da consulta mostra, inclusive, que Couto é nome fortíssimo para disputar a única até a única vaga de senador, pela Paraíba, que estará disponível em 2014.

Com fundamento nesta pesquisa qualitativa, é razoável supor que os dois partidos caminham para um entendimento e mais: que o PMDB irá trabalhar com a possibilidade de ter o deputado Luiz Couto na vice. A vaga para o senado, dizem que dela José Maranhão não abre mão…

Imoralidade
A Câmara de João Pessoa começa a discutir hoje uma imoralidade digna de repúdio de todo cidadão que se dá ao respeito: o projeto-de-lei enviado pelo prefeito Luciano Cartaxo que (pasmem!) anistia em 100% de juros e multas por débitos em atraso; parcela esse débito atrasdo em 96 vezes  e ainda dá um desconto de 30% no ISS passado e futuro dos cartórios. É uma coisa tão indecente que me permite perguntar: quem vai sair ganhando quanto nessa história?..

Corrupção
Lamentável a decisão do senador Cícero Lucena (PSDB), de votar favoravelmente à chamada PEC da Impunidade ou PEC 37, mas que também poderia ser chamada de PEC da falta de vergonha. Propõe que o Ministério Público perca a sua prerrogativa de fazer investigações. Se prevalecer a vontade do parlamentar paraibano, os corruptos que atacam o erário, o crime organizado e outras das mazelas brasileiras serão premiadas com a impunidade.

Campina I
Anda de mal a pior a gestão do prefeito Romero Rodrigues, em Campina Grande. Das 26 creches municipais, nada menos que 19 estão fechadas. O Peti retornou às atividades, mas não funciona por falta de funcionários em número suficiente. E as exonersações de uns em benefício de outros, não param.

Sujeira
No calçadão de Campina Grande Romero já está sendo apelidado de Sujismundo, numa referência ao acúmulo de sujeita na cidade. As postagens, nas redes sociais, de fotos mostrando que em Campina o lixo dá na canela, não param. Nas áreas centrais, até que está limpinho. Mas nos bairros periféricos a coisa ta preta.

Saúde
Adalberto Fulgêncio passa a ser um dos principais responsáveis pela imagem da gestão de Luciano Cartaxo. A Saúde no município continua o caos e é motivo de quase todas as reclamações da população nos programas radiofônicos de João Pessoa. Sem a solução desses problemas, Cartaxo cairá na cotação dos pessoenses, sem dúvida.

Ah, ta…
Adivinhe para onde um amigo meu, que morre de paixão pelo regime de Fidel Castro e que acha Cuba um Paraíso modelo para o mundo, vai levar a sua filha para um passeio de debutante! Havana?! Kkkk, jamais: Paris e New York, fina flor do capitalismo imperialista e cruel.

Parecidos
Neste ponto, aliás, os mortos de paixão pelo regime de Fidel Castro só se assemelham aos campinenses: morrem de amores por Campina Grande, mas só querem morar em João Pessoa…

Dorgival
O ex-governador e ex-prefeito de João Pessoa, Dorgival Terceiro Neto, que faleceu na semana passada, foi um dos homens públicos mais íntegros da história recente da Paraíba. Ocupou os mais relevantes cargos públicos no Estado sem deixar uma mácula na sua biografia. Deixa um patrimônio relativamente modesto e construído às custas dos esforços pessoais. Uma raridade, hoje em dia.

Heil chefe!!
Nas redes sociais, aqueles que se opõem ao governador Ricardo Coutinho estão sendo chamados de “os cancerosos”. Com a sugestão de que sejam banidos “para não contaminar as pessoas de bem que estão juntos desenvolvendo a Paraíba”. Ôooo Pa-ra-iba bôoooaaaaa!!!

Por que Ricardo só cumpre a lei que lhe convêm?

Postado: 18-04-2013
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votes, average: 4,00 out of 5)
Loading ... Loading ...
Ricardo Coutinho

Ricardo Coutinho

Por Wellington Farias –  Com o governador Ricardo Coutinho é assim: aquilo que é em benefício da sua vontade ou da conveniência administrativa de sua gestão, pode; mas tudo aquilo em favor dos outros, mesmo que seja direito líquido e certo, não pode, porque tem a famosa Lei de Responsabilidade Fiscal. Neste governo, portanto, o cumprimento da lei não tem mão dupla.

Vejamos apenas um dos inúmeros exemplos: há pelo menos seis meses, praças da Polícia Militar da Paraíba adquiriram o direito absoluto e indiscutível a promoções de carreira. O governo nega, peremptoriamente, a pretexto de que – neste caso – para cumprir a lei o Estado terá que ultrapassar os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Uma não neutraliza a outra
Ora, mas convém perguntar a sua Excelência por que a Lei de Responsabilidade Fiscal é digna de cumprimento e a lei que garante o benefício automático para os praças da Polícia, não. Desde quando uma neutraliza a outra? E mais: o bom senso não indicaria que, entre os pobres barnabés e o erário, este último tem mais condições de perdas que o primeiro? É a lógica.
A Lei de Responsabilidade Fiscal consiste, apenas, num instrumento destinado a impossibilitar que os governantes torrem a grana pública de forma irresponsável e com seus excessos de gastos. Jamais, porém, em detrimento de obrigações legais as quais o Estado não pode fugir como o cumprimento de deveres inarredáveis previstos em lei. Não tem cabimento, portanto, que se deixe de cumprir uma lei em benefício de outra, ainda mais quando se mexe em salários e vantagens garantidas aos funcionários.

Compatibilizando
O cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal deve se dar, necessariamente, sem prejuízos ao cumprimento das outras. No caso da Paraíba, no entanto, o que está mais do que notório é que a tal LRF não passa de um argumento falso do governo para subtrair direitos dos outros. Chega a ser curioso que tudo pode, custe o que custar, quando é do interesse do governador e de sua gestão. Aí, sim, não tem Lei de Responsabilidade Fiscal…

Na chibata
Nunca na história deste pobre Estado, os funcionários públicos da Paraíba foram tão massacrados, como agora. Ricardo Coutinho não tem pena nem dó dos pobres barnabés. Trata-os a pão e água com sal. Ora os agentes fiscais, ora os professores, ora os militares, e por aí vai, tirando um pouco de cada…

Insignificantes
E os servidores não pensem que o governador RC está preocupado com os reflexos desse tratamento nas próximas eleições. Tá nada, nem um pouco: afinal, ele calcula que, no universo de eleitores paraibanos, os funcionários do Estado representam uma minoria incapaz de influenciar na sua eleição ou derrota. Portanto, haja pau…

De repente…
Uma coisa precisa ser dita: este governo conseguiu o que nenhum outro até então havia conseguido: depois de uma Semana Santa com (pasmem!) 36 assassinatos só na Grande João Pessoa, já na segunda-feira seguinte, a violência e a criminalidade despencaram para quase zero. Bastou uma conversinha da área de segurança com a crônica policial. Fácil assim…
PEC 37
A sociedade precisa se mobilizar e pressionar os parlamentares paraibanos no sentido de que votem contra a PEC 37, chamada de PEC da Impunidade. Trata-se de uma emenda à Constituição que tira do Ministério Público a competência para promover investigações, ou seja: se aprovada, a corrupção neste País vai dar na canela…

Pergunta
A quem interessa, de fato, tirar do Ministério Público a prerrogativa de investigar a corrupção no Brasil? Terá intenção mais dolosa e clara do que esta? Pelo menos até agora, nenhuma pessoa de bem se manifestou favorável a tal PEC 37. Só aqueles que, de alguma forma, caíram na malha das investigações…

O menino
É notório que o Grupo Cunha Lima tende a aumentar de tamanho: consta nos registros da crônica política que Pedro, o caçula do senador Cássio Cunha Lima, já está de olho no bastão herdado pelo pai, do seu avô Ronaldo Cunha Lima.

Leva jeito
Pedro tem tudo pra se dar bem na nova empreitada. Na sua primeira aparição pública, em homenagem póstuma ao seu avô Ronaldo, mostrou que tem DNA político. Desenrolado que só ele, subiu à tribuna do Senado, pôs de lado o discurso escrito e soltou o verbo, para orgulho da família que o assistia. Se tem voto? Ora, bom basta…

Grande gesto
Muito aplaudida pela sociedade pessoense – e até por adversários – a atitude do prefeito Luciano Cartaxo (PT) de doar uma casa à família de Fernanda Ellen, a garotinha que foi assassinada pelo vizinho, em João Pessoa. Não há, mesmo, como a família continuar morando na mesma rua em que a menina foi morta, ainda mais na casa vizinha, onde o assassino a enterrou.

Presente
Finalmente, a gestão de Luciano Cartaxo começa a ter a sua presença sentida na cidade: obras de pavimentação, providências para evitar incidentes em áreas de risco, melhorias na rede asfáltica de João Pessoa. E, ontem, camelôs foram retirados de áreas impróprias para o comércio ambulante. O que fez muito bem.

 

Os quatro guardiões que Ricardo precisa na Assembléia

Postado: 01-04-2013
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 3,00 out of 5)
Loading ... Loading ...
Quatro guardiões de RC

Quatro guardiões de RC

Por Ytalo Kubitschek (*) – Deputados tímidos, ausentes, que não levantam a voz. Esse é o retrato da bancada do governador Ricardo Coutinho na Assembléia Legislativa. Uma bancada que sofre de uma espécie de “pusilanimidade mórbida” ou seria “oportunismo temporal”.

Faltam guardiões, sobram camaleões.

Sobretudo agora, quando mais do que nunca, a oposição tende a trucidar o governo na temática da violência. Porque não há rigorosamente nenhum cidadão que não tenha tido um parente ou amigo vítima da insegurança na grande João Pessoa.

Segundo a maior rede de televisão do mundo, a CNN News, João Pessoa já se tornou a 10ª cidade mais violenta do planeta, considerando o número de homicídios por grupos de 100 mil habitantes. Um flagrante de uma guerrilha urbana que castiga o estado da Paraíba, não resolvida em seis meses, como prometido pelo governador Ricardo Coutinho na campanha de 2010.

Para completar, 25 pessoas são assassinadas na grande João Pessoa durante a Semana Santa, índice que supera até as regiões mais violentas do planeta. O número representa um aumento de mais de 300% em relação ao período de Carnaval deste ano.

É isso mesmo, na “Semana Santa” morreu 300% mais gente do que no “Carnaval”. É pouco…

Qual deputado foi em alguma emissora de rádio ou televisão para trazer as explicações do governo?

Qual deputado na Paraíba tem conjugado o verbo “acreditar” nas políticas públicas do governo que faz parte?

Diante desse quadro de frouxidão legislativa, o governador Ricardo Coutinho já pensa nos aperfeiçoamentos para o seu grupo político no que tange a representatividade na casa de Epitácio Pessoa.

Ricardo, com seu espectro racionalista, não deve concordar com aquela pérola proferida certa vez por um parlamentar aliado de Ricardo Coutinho: “Deputado é como pneu, se um furar, o governo bota outro no lugar.”

De nada adianta ter dez estepes à venda se o carro tiver com a roda empenada. O governador obviamente já detectou isso. Sua bancada é uma colcha de retalhos que precisa ser costurada, como algodão entre cristais, de sessão em sessão.

Por que recorrer a adversários quando se tem aliados em maioria? Com a palavra o deputado Márcio Roberto…

Para se defender um projeto executivo no legislativo não é preciso ter tribunos do quilate de Carlos Lacerda. Mas acho que se um parlamentar faz parte de um governo, é preciso acreditar nele, e defendê-lo com convicção. Do contrário, é “oportunismo.”

Faltam mais Hervásios Bezerras…

Sobram os João Gonçalves da vida…

Faltam os quatro guardiões que Ricardo Coutinho precisava no Legislativo: Estela Bezerra, Fabiano Gomes, Aracilba Rocha e Ricardo Barbosa. Os mais frondosos aliados do seu governo.

Estela Bezerra: Definitivamente ocupou sem sobras o espaço de Nonato Bandeira no coração do “projeto”. Participa de todas as decisões estratégicas do governo, é Estela quem dá a penúltima palavra. Considerada a maior especialista em Ricardo Coutinho, terá em 2014 um forte recall de sua campanha à prefeitura. Caso obtenha para deputada a metade dos votos que teve em João Pessoa, já sairá da capital eleita, o que deve levá-la a uma eleição tranqüila, devendo ser a puxadora de votos da coligação.

Fabiano Gomes: Comunicador eficiente, agressivo e de resultados. Não mede conseqüências quando entra num debate. Diferentemente dos outros três guardiões, este não é tecnocrata e fala verdadeiramente a língua do povo, nua e crua. Desassombrado, e de uma ousadia peculiar aos jovens como eu. Entra nas bolas divididas que aparecem em sua frente, sem medo de contusão. Não permita que Fabiano fale por quinze minutos, ele transforma Cajazeiras em Paris. É exatamente isso o que Ricardo Coutinho carece hoje na ALPB.

Aracilba Rocha: Além de um poço de lucidez e sobriedade, é um dos quadros técnicos mais preparados da história da Paraíba. Burocrata por excelência, cuida de quase todas as áreas que gravitam em torno do governo, que perpassam a área financeira. Uma gerentona de mão cheia que reverte qualquer déficit em superávit e levaria a sua experiência para reforçar a bancada.

Ricardo Barbosa: Aquele que nunca bota o “rabo entre as pernas”, nem se esconde nas horas difíceis, nas palavras de Cássio Cunha Lima. Foi assim nos governos Ronaldo, Cássio e agora com Ricardo. Assemelha-se muito a Ciro Gomes no temperamento e na eloqüência. Se for perceptivo, não deve mais querer comprar briga com aliados, como na eleição de 2010 e pavimentará seu retorno a casa de Epitácio Pessoa.

Eis os quatro guardiões que Ricardo Coutinho precisava urgentemente na Assembléia Legislativa. E já sabe disso.

(*) Transcrito do MaisPB.com.br

Ricardo anuncia aumento de 300% e helicópteros para a Segurança

Postado: 01-04-2013
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votes, average: 2,50 out of 5)
Loading ... Loading ...

Ricardo: o governador mais generoso da história

Por Wellington Farias – Em entrevista coletiva que concederá no Palácio da Redenção, às 15 horas desta segunda-feira, o governador Ricardo Coutinho (PSB) vai surpreender com o anúncio de um pacote de medidas de grande impacto, a começar pela concessão de aumento para os funcionários públicos do Estado em percentuais jamais vistos na história.

Os principais beneficiados serão os servidores das áreas de Educação, Saúde e Segurança, que terão seus salários-base reajustados em 300%. Os menos favorecidos serão os do Fisco, 85% de aumento. “Não se trata de perseguição, mas o fato é que eles formam a categoria de servidores mais privilegiada em termos de salário”, teria comentado o governador” já atalhando possíveis ilações.

Segundo o blog apurou junto a uma fonte de muita credibilidade, o governador Ricardo Coutinho também comunicará ao povo da Paraíba que a ordem é tolerância zero com a criminalidade, de modo que o Estado acaba de adquirir, para o seu aparelho de segurança: cinco  helicópteros modelo Mi-24/35, que encabeça a lista dos dez melhores apropriados para combate; armamentos de última geração do tipo Panzer Howitzer 2000 (o morteiro de autopropulsão usado pelo exército alemão e que é o mais avançado sistema de canhões de artilharia do mundo); Barrett M107 – Clássico rifle de alta potência para franco-atiradores, usado pelos Estados Unidos na Operação Tempestade no Deserto; 800 picapes Dodge Ram SRT-10, que estão entre as mais modernas e potentes do mundo.

Para a Polícia Militar, a notícia é ainda melhor:  além dos equipamentos e do aumento de salários, o governador Coutinho já autorizou a imediata promoção dos praças e oficiais. E mais: semestralmente equipes de policiais militares irão para os Estados Unidos a fim de receber treinamento do FBI, sendo que os da área de inteligência favão cursos diretamente na CIA. Todos terão bolsas generosas o suficiente para terem, nos Estados Unidos, um padrão de vida a altura de qualquer policial norte-americano.

Segundo a fonte,  depois do generoso aumento de salário para os servidores da Educação, o governador Ricardo Coutinho promete, para até o próximo ano, elevar o nivel das escolas públicas aos melhores do mundo. Para tanto, ja teria designado uma comissão de especialistas no assunto para observar que paises tem os mais altos padrões de escolas, que aqui serão adotados. “Tablet será  fichinha comparado com os equipamentos que vamos adquirir para nossas escolas”, teria comentado Ricardo Coutinho.

No mais, caríssima meia-duzia de leitores, o blog sugere que não acredite numa vírgula  desta notícia. Afinal, hoje é 1º de abril. kkkkkkkkkkkkkkk

PS: agora é sério: há 49 anos, nesta data, o Brasil começava um período de trevas, com o famigerado golpe militar de 1964. Foram mais de duas décadas de muita truculência: tortura, pau-de-arara, baionetadas, bombas de gás lacrimogêneo, exílio forçado das nossas melhores cabeças, assassinatos de presos políticos. Foram 21 anos que demoraram alguns séculos…